Américas

Imagem

Fernando Bryce
Américas
San Juan, Porto Rico: Instituto de Cultura Puertorriqueña, 2009.

30 x 21 cm.
Offset
420 ex.

Esta publicação faz parte de uma série de livros de artista publicados para a 2ª Trienal Poli/Gráfica de San Juan: América Latina y el Caribe, 18 de abril – 28 de junho, 2009, organizada pelo Instituto de Cultura Puertorriqueña.

Imagem

Durante a última década Fernando Bryce (Lima, 1965) produziu um corpo de trabalhos com base na memória histórica e nos modos de representação. A série de Bryce se concentra em episódios históricos cruciais que ele explora de forma crítica e sistemática. Seu método, que ele descreveu como “análise mimética,” se baseia na cópia cuidadosa de panfletos, documentos oficiais, imagens da imprensa, propaganda política e anúncios, a fim de articular amplos conjuntos de desenhos a tinta que tratam das relações de poder e sua veiculação na história do século XX. Através do jogo básico de re-apresentação (no sentido mais literal de mostrar novamente), pela cópia ou a simples mise en scène de documentos e objetos, Bryce usa apropriação, paródia e ironia como armas para expor e questionar os preconceitos subjacentes e comumente aceitos nos discursos oficiais. Através desta estratégia, Bryce literalmente recupera a figuração da ideologia. Seu projeto, assim, envolve imagens da história do mundo moderno, registradas seletivamente para forjar uma genealogia do presente.

Imagem

Over the past decade Fernando Bryce (b. 1965, Lima) has produced an incisive body of work based on historical memory and modes of representation. Bryce’s series focus on crucial historical episodes which he explores critically and systematically. His method, which he has described as “mimetic analysis,” relies on the careful copying of pamphlets, official documents, press images, political propaganda, and advertisements in order to articulate large suites of ink drawings that deal with power relations and their mediatization in twentieth-century history. Through the basic play of re-presentation (in the most literal sense of showing again), by copying or by the simple mise en scène of documents and objects, Bryce uses appropriation, parody, and irony as weapons to expose and question the prejudices underlying commonly accepted official discourses. Through this strategy, Bryce literally recovers the figuration of ideology. His project thus engages the images of history in the modern world, fixed selectively to forge a genealogy of the present. [fonte]

Salvar

Salvar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s